Argentina: Tudo que você precisa saber

rafael libman

Terra do vinho, do churrasco, do tango, dos Pampas e da Patagônia. Rafael Libman lembra que o melhor de ir para o país vizinho é que não precisa de visto, dá para viajar apenas com a carteira de identidade. Então, acompanhe algumas dicas essenciais para aproveitar ao máximo:

1- O que esperar de uma viagem para Argentina
A Argentina é um país sem contra-indicações. Independentemente da sua idade ou estilo de viagem, deve haver um lugar neste país que saiba recebê-lo. E, não importa para onde você vá, encontrará um argentino muito hospitaleiro. Os viajantes que gostam de arte e cultura não ficarão desapontados em Buenos Aires. Por outro lado, os turistas que também gostam de vivenciar paisagens fascinantes terão muitas opções. Afinal, de norte a sul, inverno a verão, o território argentino desfruta de paisagens magníficas.

2- Qual moeda levar?
De cara já desconsidere a possibilidade de comprar pesos argentinos no Brasil. Afinal, esta é a alternativa onde seu dinheiro renderá menos, uma vez que a moeda argentina é instável, e em muitos lugares é possível trocar dólares pela moeda local, por vezes em taxas bem mais favoráveis que a do câmbio oficial. Rafael Libman explica que o principal câmbio, localizado no aeroporto, não aceita notas manchas ou rasgadas, por isso tente andar sempre com notas recém saídas do banco.

3- Clima
Por estar localizada mais ao sul que o Brasil, as estações são mais bem definidas, então se for no verão, por exemplo, opte por um hotel com ar condicionado.

4- Abuse do metrô e dos táxis
O metrô e os táxis em Buenos Aires são muito mais baratos do que no Brasil, então não há mal nenhum em usá-los diversas vezes para passear. Se você viajar em grupos (por exemplo, três a quatro pessoas), os táxis são quase gratuitos. Rafael Libman alerta para ter cuidado, pois nem todos os táxis são espaçosos e confortáveis.

5- Vá com a mala mais vazia
Leve apenas o essencial e deixe metade da mala vazia. Na Argentina, você vai se surpreender com o preço das roupas e até dos eletrônicos, e pode querer trazer muitas coisas bacanas para o Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui