Tudo sobre os cânceres urológicos mais comuns

O Dr. Mestre Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes é médico urologista, responsável pelo diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças que atingem a próstata, rins, bexiga, penis e testículos. É de conhecimento geral que, quando esses problemas são identificados rapidamente, maior são as probabilidades de cura.

Sendo assim, hoje o Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes nos contou sobre os cânceres urológicos mais frequentes entre os homens e como prevenir. Veja:

Câncer de próstata
Segundo Marco Antonio Quesada, a próstata é pequena e fica localizada na parte baixa do abdômen. O câncer de próstata é o segundo câncer mais comum entre homens, ficando atrás apenas do câncer de pele.
O especialista conta que o problema pode ser silencioso no início, não manifestando sintomas por um bom tempo, porém, quando em estado avançado pode provocar dores ósseas, sintomas urinários e até insuficiência renal
Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes conta que a melhor forma de se prevenir contra o câncer de próstata é fazendo exames periódicos. Ressaltando que, homens com mais de 50 anos e pessoas com incidência familiar devem comparecer ao urologista anualmente.

Câncer de bexiga
Outro câncer muito comum entre homens, apresenta sintomas parecidos com os de outras doenças do aparelho urinário, sangue na urina, dor e vontade frequente de urinar.
Marco Antonio Quesada conta que ainda não se sabe a causa do câncer na bexiga, porém ser fumante aumenta as chances. É ideal manter uma dieta equilibrada, rica em verduras, frutas e legumes.

Câncer de rim
Marco Antonio Quesada nos explica que os fatores hereditários são mais recorrentes nesse câncer. Os sintomas apresentados com mais frequência são dores abdominais, dores nas costas, perda de peso, sangue na urina e inchaço. O tratamento é feito a partir de cirurgias, radioterapia, quimioterapia e tratamento hormonal.

Câncer de testículo

Segundo Marco Antonio Quesada o câncer de testiculo possui um baixo índice de mortalidade podendo ser 100% curáveis quando descobertos nas fases iniciais. É considerado raro, mas pode atingir homens em idade reprodutiva (15 a 50 anos).
O especialista conta que entre os fatores de risco estão histórico familiar, lesões e traumas na bolsa escrotal e criptorquidia. Os sintomas variam de dor na parte baixa do abdômen, sangue na urina e aumento dos mamilos.
O tratamento é feito com cirurgia, radioterapia e quimioterapia.

Marco Antonio Fortes pede atenção para tais doenças e ressalta a importância de se consultar com urologista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui